ANGELA TENÓRIO: A MULHER BOMBA DA SAÚDE

Data da postagem: 29/08/2018 | Nº de Visualizações: 915
Você está vendo uma matéria da coluna: Comportamento

Após ter sofrido assédio moral e ser demitida dos hospitais públicos por ter denunciado o estado de precariedade dos mesmos, ela se tornou  uma combatente pela saúde brasileira. Suas denúncias e a coragem em falar a verdade fizeram com que fosse conhecida como mulher bomba, ou seja, por onde passa não fica pedra sobre pedra. Angela fala mesmo, doa a quem doer: “ A Saúde está Zerada!”. Leia abaixo:

Angela Maria Tenório de Albuquerque, é de Guadalupe, subúrbio carioca e começou a se interessar por política pública  após sofrer um colapso nervoso ao ser deixada sozinha para atender centenas de pacientes em uma emergência que se encontrava em estado precário. Hoje é candidata a Deputada Federal, por insistência e aclamação de seus colegas de trabalhoe milhares de simpatizantes que vem acompanhando sua luta no decorrer dos anos. A Saúde, sua prioridade, seu foco, a fiscalização das contas públicas, programas de prevenção para evitar a grande procura por hospitais, a defesa da humanização do parto visando a redução de cesáreas desnecessárias, mudança no SUS, fiscalização de UPAs, postos de saúde e Clínicas da Família, criação de uma ouvidoria para a população denunciar e fiscalizar, e levar propostas por uma saúde de qualidade aos governantes. 

Aos 65 anos, a sobrinha neta de Tenório Cavalvanti, o justiceiro da Baixada Fluminense, o Homem da Capa Preta, nos anos 70, decidiu entrar para a política depois de entender o duro processo da peregrinação da saúde pública em nosso país. Sem dinheiro, mas com muitos simpatizantes, jornalistas de diversos segmentos e pessoas simples que a cercam no dia-a-dia de seu consultório fizeram que ela encarasse a árdua tarefa de uma campanha política com a alma. Na entrevista abaixo, ela aponta as prioridades do início do seu planejamento político. 

A senhora ficou muito conhecida depois de uma entrevista veiculada na TV Record, onde denunciou o abandono do serviço de saúde do Rio de Janeiro. Candidatar-se Deputada Federal é um caminho para continuar sua luta?

Angela Tenório - Minha candidatura foi movida pela aclamação dos colegas de trabalho e milhares de pessoas que me apoiam, me procuram e eu tento ajudar dentro das poucas condições que possuo. Em meu mandato a saúde será prioridade. Há uns anos, com o fechamento do Hospital Municipal D. Pedro II o atendimento complicou no Rocha Faria de maneira desastrosa. Certo dia, devido a denúncias, a TV Globo esteve lá e fui orientada a não falar com a imprensa, a me esconder (aliás, eu e todos os outros médicos). Como eu não aguentava mais ver o sofrimento dos doentes acabei dando uma entrevista, sem grande repercussão, sobre nossas dificuldades. Fui advertida e disseram que as entrevistas eram proibidas. Os amigos me apoiaram e começaram a falar que eu teria que ser a vereadora da saúde.  Na época não deu. Agora venho como deputada federal. De uma necessidade nasceu a candidatura, a legenda. Um ano depois a  imprensa voltou ao local e sozinha numa emergência para atender mais de 200 pessoas, eu sofri um surto e gritei mesmo: a saúde está zerada, os pacientes estão a mingua, morrendo (https://www.youtube.com/watch?v=c0nncpNSfEU). Daí para frente todos conhecem a história: houve um fortalecimento natural do meu grito de socorro mas tudo piorou absurdamente. 

Em sua opinião, o que é necessário para mudar o quadro da saúde no Estado?

Angela Tenório - Inicialmente abrir o diálogo. A administração atual não questiona com os médicos à respeito do assunto em pauta. A falta de diálogo com nossa classe, a má vontade dos governantes e a falta de investimentos contribuíram para que a saúde fosse parar no CTI.

Para a senhora, o que deveria ser mudado a nível do Governo Federal quanto a Saúde do brasileiro ?

Angela Tenório - Solicitar as autoridades, pessoas capacitadas para exercer a verdadeira administração hospitalar, a trabalharem em prol da verdade, da honestidade e que os investimentos e fiscalização do dinheiro aplicado sejam transparentes. Partindo deste princípio, as mudanças virão em muito pouco tempo. 

Existem outras propostas sem ser a saúde?

 Angela Tenório - Educação, saneamento básico, laser e segurança. 

A senhora e seu tio-avô, Tenório Cavalcante, são parecidos em alguma coisa?

Angela Tenório- Vim de uma família de pessoas humildes, determinadas, destemidas e perseverantes. 

De onde veio o apelido Mulher Bomba?

 Angela Tenório - Houve uma explosão após sofrer assédio moral, ou seja nunca mais consegui trabalhar em um hospital público após minhas denúncias. Fui demitida. 

É verdade que a senhora tem uma lista de hospitais, no quais chegará para bombardear a saúde junto com sua equipe?

Angela Tenório - É verdade! Fiscalizarei um a um, e contarei com as denúncias daqueles que são vítimas do descaso e humilhação.

Angela Tenório por Angela Tenório?

Angela Tenório- Uma cidadã comum, interessada em conscientizar a população à leitura da constituição.

www.facebook.com/angelatenorio3553/


Compartilhe este materia:

Deixe seu comentário:

Curta você também nossa página no facebook

Acesse nossas redes sociais

Rua Domingos Ferreira, Nº102/501 - COPACABABA - Rio de Janeiro - Brasil
Tel: (21) 2135-0977 / 3093-2024
Copyright © 2012 - Cariocas "o jornal que é a sua praia" | Todos os direitos reservados.